QUANDO UTILIZAR 
O TESTE DE INTEGRAÇÃO SENSORIAL NA AVALIAÇÃO DE EQUILÍBRIO DO SEU PACIENTE?

Teste de Integração Sensorial
O teste de integração sensorial é um teste que avalia a interação dos 3 sistemas envolvidos no controle postural: visual, somatossensorial e vestibular, desenvolvido em 1986 para padronizar a avaliação.

Deve ser utilizado quando você precisa avaliar a interação dos 3 sistemas para o equilíbrio do seu paciente. Originalmente o teste é realizado em 4 posturas, mas você pode avaliar durante tarefas funcionais. 

É um teste muitas vezes negligenciado e pouco conhecido, mas é super útil para entender os déficits de equilíbrio do paciente idoso e para determinar como a progressão do treino de equilíbrio acontecerá. 

Se tiver interesse em saber mais sobre este teste e se aprofundar na avaliação de equilíbrio, acesse a página do meu curso online TEPI (Testes de Equilíbrio para Pessoas Idosas): https://larissaviveiro.com.br/inscricoes-tepi.
Com carinho,
Larissa Viveiro

São Paulo, 07 de junho de 2022.

NÃO AVALIE QUEDAS
NO PRIMEIRO DIA DE AVALIAÇÃO COM O SEU PACIENTE ADULTO IDOSO!

Teste de Integração Sensorial
Alerta: esse texto pode conter um pouco de sensacionalismo...rs

Você pode estar se perguntando: "Por que é que a Larissa escreveu que eu não devo avaliar sobre quedas no primeiro dia com o meu paciente adulto idoso? Será que ela escreveu errado?"

Não, não escrevi errado, você leu direitinho!

VOCÊ NÃO DEVE AVALIAR QUEDAS NO PRIMEIRO DIA DE AVALIAÇÃO, VOCÊ DEVE AVALIAR QUEDAS SEMPRE QUE PUDER!

Avalie sim no primeiro dia, mas tenha em mente que este é um assunto a ser revisitado sempre que necessário.

Assim que o paciente apresentar uma queda, você precisará avaliar essa questão; se o paciente tiver instabilidade postural, em todas as reavaliações você precisará abordar sobre quedas; se identificar algum comportamento de risco, será necessário educar o paciente quanto a isso; e na presença de qualquer fator de risco para queda, você deverá avaliar e abordar a prevenção!

Perceba que a avaliação de queda é constante!

Fique atenta e não negligencie os fatores de risco que o seu paciente apresentar!

Se tiver interesse em saber mais sobre quedas em idosos, acesse a página do meu curso online MLV (Método Larissa Viveiro de Prevenção de Quedas): https://metodolarissaviveiro.com.br/ .
Com carinho,
Larissa Viveiro

São Paulo, 31 de maio de 2022.
Ipad

De tempos em tempos envio informações para os colegas que desejam saber como transformar a prática clínica dentro da Gerontologia em assertividade e resultados ao paciente adulto idoso!

Se quiser ter acesso a esse material
exclusivo cadastre seu e-mail.

DESCUBRA COMO TRANSFORMAR A SUA PRÁTICA CLÍNICA EM ASSERTIVIDADE E ENTREGUE O MELHOR AO SEU PACIENTE ADULTO IDOSO

Paulo Viveiro
LARISSA VIVEIRO
Movida a DESAFIOS, assim que finalizei a Graduação em Fisioterapia, entrei na Especialização em Fisioterapia em GERONTOLOGIA no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), onde troquei meus primeiros passos como PESQUISADORA, participei do meu primeiro congresso internacional e realizei a primeira apresentação oral em Inglês.

Nesses mais de 11 anos, participei de muitos congressos, nacionais e internacionais, fiz uma parte do Mestrado, fui transferida para o DOUTORADO Direto, passei por muitas dificuldades, estudei muito sozinha (errando e acertando) e tive que correr atrás de assuntos e disciplinas não exploradas pela maioria de nós, profissionais da saúde.

Clinicamente sempre atuei em GERONTOLOGIA, atendendo pessoas idosas com INSTABILIDADE POSTURAL em domicílio e em ILPI.

Hoje, Doutora em Ciências pela FMUSP, sou pesquisadora envolvida em pesquisas nacionais e internacionais no Laboratório de Estudos em Tecnologia, Funcionalidade e Envelhecimento (LETEFE-USP), membro da Associação Brasileira de Fisioterapia em Gerontologia (ABRAFIGE), mãe da Larinha, esposa do Paulinho Viveiro e pianista nas horas vagas.

Sou muito GRATA pela oportunidade de ajudar fisioterapeutas a entregarem QUALIDADE e SEGURANÇA às pessoas idosas com risco de quedas, por meio do meu MÉTODO, integrando PRÁTICA CLÍNICA e CIÊNCIA.